“Only Murders in the Building”: Cara Delevingne entra para o elenco

“Only Murders in the Building”: Cara Delevingne entra para o elenco

A atriz/cantora/baterista Cara Delevingne foi escalada para o elenco regular da segunda temporada da série “Only Murders in the Building”, do serviço de streaming americano Hulu. Ela interpretará a personagem Alice, uma sofisticada insider do mundo da arte que se torna enrolada no mistério. Infelizmente, a excelente série que tem Steve Martin, Martin Short e Selena Gomez não possui exibição no Brasil (em formatos legalizados, se você me entende).

A série de comédia e mistério foi criada pelo próprio Steve Martin e John Hoffman, e segue três estranhos (o trio composto por Steve Martin, Martin Short e Selena Gomez) que compartilham uma obsessão com crimes reais e de repente se encontram envolvidos em um quando uma morte ocorre dentro do exclusivo prédio de apartamentos do Upper West Side. O trio suspeita de assassinato e decide investigar a verdade por conta própria, gravando um podcast pelo caminho quando percebem que um assassino pode estar vivendo entre eles.

Steve Martin e John Hoffman exercem o cargo de produtores executivos ao lado de Martin Short, Selena Gomez, Jamie Babbitt, Dan Fogelman, e Jess Rosenthal.

Cara Delevingne fez sua estreia na atuação em 2012 interpretando a Princesa Sorokina em “Anna Karenina” de Joe Wright. Seus outros créditos incluem “Margo” na adaptação de Jake Schreier em 2015 para “Cidades de Papel”, de John Green. A atriz também foi June Moone/Magia no filme “Esquadrão Suicida” de David Ayer em 2016. Atualmente, ela estrela como Vignette Stonemoss na série “Carnival Row” da Amazon Prime Video e estará em breve na docussérie da BBC e Hulu, “Planet Sex”.

Cara Delevingne também é cantora e baterista. Sua música “I Feel Everything”, produzida por Pharrell Williams, foi parte da trilha sonora do filme “Valerian e a Cidade dos Mil Planetas” de 2017, no qual ela também estrelou. Ela também esteve presente no álbum “Fetch the Bolt Cutters” de Fiona Apple em 2020.

Sigam-me os bons: