Crítica: Shazam!

Crítica: Shazam!

Bem humorado, diversão para toda família e cheio de referências ao Universo DC. Se pudesse resumir o último lançamento da Warner/DC nos cinemas, Shazam! conseguiria esses termos com tranquilidade. Dizer que este é o melhor filme que a produtora fez com os quadrinhos da editora seria comparar desnecessariamente com outras ótimas películas que o estúdio já produziu, como Batman – Cavaleiro das Trevas e, por que não, Aquaman e Mulher Maravilha.

Porém, dizer que este é o filme mais engraçado que a – não mais – sombria DC fez, não é nenhum exagero. Shazam! brinca muito bem com o fato de uma criança estar em um corpo de adulto e, assim que muitos críticos haviam avaliado nas exibições de teste, temos claras referências a filmes como “Quero Ser Grande”.

O filme do herói também utiliza de forma útil e produtiva o carisma de Zachary Levi. O ator, conhecido por ser o protagonista da série Chuck e ter participação em um dos filmes do Alvin e os Esquilos, tem o talento suficiente em um papel realmente feito para ele. Como um grande fã do rapaz, fiquei muito feliz por ver o resultado de sua atuação e os elogios que tanto ele quanto o filme estão recebendo na mídia.

Com uma incrível nota no Rotten Tomatoes, que costumeiramente jogava a reputação da DC no lixo, a Warner parece ter começado a achar o caminho para o sucesso. Quem diria que deixar cada filme ter seu próprio tom e deixar produtores e diretores terem mais controle daria tão certo, não é mesmo?

A grande falha de Shazam! é que o filme acaba. Foi uma diversão mista de Sessão da Tarde devido a algumas cenas que uma pequena vergonha alheia é sentida (vocês saberão ao ouvir uma certa versão de Eye of the Tiger, conhecida pelos filmes do lutador Rocky, protagonizado por Sylvester Stallone). Porém, em alguns momentos, temos aquela sensação de ver um filme que entrega o que promete. Com a clássica história de herói e vilão, mas com ótimas origens e muito bem amarradas e contadas.

Shazam! capricha muito nisso e manda super bem. Tendência nos últimos filmes de super-heróis das duas casas (vide Pantera Negra, Aquaman, etc.), a história da criação do vilão e suas motivações são bem mostradas e com uma ótima atuação do sempre bom e forte (trocadilho intencional) Mark Strong. O ator, que já foi o Sinestro naquele longe – e esquecível – filme do Lanterna Verde consegue se reinventar e, ainda assim, criar mais um grande personagem com ótimas falas e presença de tela.

Voltado à diversão em família, o filme não esquece de trazer a fraternidade e também ótimas atuações das crianças, sem precisar utilizá-las sempre, ou somente, para alívio cômico ou para apelar para o lado sentimental. Elas estão presentes com seus motivos, suas angústias e sonhos. Mesmo que não se aprofunde muito, as situações apresentadas podem ser muito bem sentidas pelo público. Alongar o filme para um foco ainda maior seria exagerar nos minutos de exibição sem necessidade.

A direção de David F. Sandberg também é algo a se elogiar, utilizando boa iluminação e ótimas tomas da Philadelphia, trazendo o filme para mais perto da realidade e, em uma das primeiras vezes (talvez até a primeira), foge do padrão da DC em ser focada apenas em uma cidade fictícia dos quadrinhos. O diretor consegue trazer um ótimo jogo de câmera nos momentos mais dramáticos que o filme possui e, mesmo que não crie um universo único como Mulher Maravilha e Aquaman trouxeram, sabe usar as referências nas horas certas e sabe muito bem quais portas podem ser abertas.

Se você espera por conexões aos demais filmes da DC, pode ficar tranquilo. Há diversas delas. Seja por detalhes como uma mochila, uma camiseta ou até bonecos do Batman (que pode ser visto em um dos trailers do filme). Shazam! está muito bem situado em um mundo onde a existência de toda a galera da Liga da Justiça é de conhecimento geral da população e, ao mesmo tempo, consegue coexistir, com seu próprio mundo e sua própria dinâmica.

Se você procura por um bom filme para dar algumas boas risadas e ter aquele momento família, Shazam! é uma ótima escolha, avaliado pelo Tio Du como nota 8,5. O ingresso será um valor bem gasto para assistir mais um capítulo da DC tentando se colocar nos trilhos rumo ao seu próprio sucesso, mesmo com seus trancos e barrancos. O serviço de utilidade pública aproveita para avisar também que há duas cenas pós-créditos.

Shazam!

Ano: 2019

Direção: David F. Sandberg

Estreia: 4 de abril de 2019 (BR)

Classificação: 12 anos

Duração: 132 minutos

Cenas pós-créditos: Sim, duas

 

Sigam-me os bons: