Crítica: The Flash – 5×17 – Time Bomb

Crítica: The Flash – 5×17 – Time Bomb

Primeiro de tudo, o Tio Du vem pedir desculpas por demorar quase 3 semanas para postar a crítica. Trabalho, faculdade e vida pessoal só conseguiriam ser bem reguladas se eu tivesse super-velocidade. Além disso, a série entrou em um leve hiato e só retorna com episódios inéditos a partir de 16 de abril. Daí até o final de temporada serão 5 episódios sem mais pausas.

Por sua vez, no 17º episódio, The Flash mostra uma mãe suburbana em perigo e precisa correr para salvá-la enquanto se veem em uma trama de segredos de família. Caso você não tenha visto o episódio até o momento, sugiro que pare por aqui. Daqui pra frente tem spoilers.

Como o próprio nome do episódio já dizia, a história da semana de The Flash era uma bomba relógio. Com o teaser bem tendencioso e com uma sinopse igual, era muito provável que o grande segredo de Nora seria finalmente revelado ao pai (ou algum membro da equipe). Com a investigação cada vez mais forte do detetive Sherloque Wells, foi questão de tempo até tudo vir à tona.

Acredito que esse tenha sido o primeiro episódio da temporada em que todos os atores do elenco principal participaram. Mesmo que Caitlin esteja presente somente nas últimas cenas, tivemos finalmente todo mundo junto, inclusive Ralph, que estava ausente por dois episódios. Aliás, sua ausência pôde ser sentida nas outras duas semanas, mas sua participação no Time Flash nessa temporada está bem reduzida. O que pode ser um dos motivos também para que Cisco dê seu adeus no final deste ano.

O episódio continua a sequência de “Failure Is an Orphan” muito bem, dando a impressão de que era uma continuação bem direta daquela história. Com a nova Cicada cuidando de seu tio (e não o contrário), pudemos ter um pequeno vislumbre de uma redenção do vilão.

Investigando a morte de seus pais, Grace descobre que quem causou a explosão do caixa eletrônico foi Vickie Bolen, uma mãe suburbana que escondia os poderes de sua família e mostrando uma das brechas para o grande núcleo do episódio: Família e segredos. O Time Flash, com ajuda de Cisco, consegue identificar quem causou a explosão e vai rumo à uma festa infantil para proteger Vickie e sua família. Cicada-Grace aparece e aqui podemos apontar dois pontos (não tão) negativos mas falhas:

  • Que conexão psíquica era aquela entre Nora e Grace? Pensei que a velocista tava possuída, isso sim.
  • Três pessoas vão interrogar Vickie. Quando Grace aparece, apenas Joe continua presente e, DO NADA, o Flash e a XS aparecem no local. Clark Kent ficaria orgulhoso desse disfarce.

Tomando sempre a temática dos segredos, chegou um momento que me deu a vontade de apenas gritar “Vai logo e fala que você tá com o Flash Reverso e para de enrolar”. Mas dava pra enrolar mais um pouco. Com uma nova conexão entre Nora e Grace, a velocista vê que a nova vilã da temporada estava chegando no (único) hospital de Central City.

Embora eu tenha colocado alguns defeitos nessa sequência de cenas, tenho que admitir que vimos um dos melhores momentos de câmera lenta deste e de muitos outros episódios: Barry começa a correr, deixando sua filha, parada, para trás, tira o anel do bolso e solta o uniforme, vestindo-o enquanto salva Vickie. Tá que não precisava taaanto se disfarçar, já que todo mundo (menos a Patty Spivot) sabe que Barry e Flash são a mesma pessoa. Mas segue o jogo.

Elogios também são merecidos para o roteirista que finalmente pensou em colocar a meta-humana da semana sem ser uma pessoa má. Claro que isso pode ter sido uma falta de personagens femininas da Galeria de Vilões do Flash para colocar, mas não deixa de ser uma boa adição ao episódio da semana. Sem precisar colocar a pessoa como uma ajudante do Time Flash. Apenas uma pessoa “normal”, que tem poderes, mas quer viver sua vida em paz.

Mas aí que entra Grace novamente, ameaçando o marido de Vickie para que a meta – ou os velocistas – a enfrentasse no lado externo do Hospital. Audaciosa a menina Grace. Chamando pra porrada a galera que sentou o cacete no tio no mesmo lugar. A vilã joga a adaga contra Nora e Vickie enquanto enfrenta o Flash, que aparentemente não tem mais capacidade de correr e pegar as algemas contra meta e usar contra Grace, mas enfim.

Porém, Grace é interrompida por seu tio, Orlin Dwyer, o Cicada anterior. Como eu disse no começo da crítica, tivemos um vislumbre de sua redenção. Até porque, logo depois, o rapaz morre nos braços de Barry após a sobrinha trazer de volta sua adaga e apunhalá-lo pelas costas. Que ironia e que analogia ao núcleo do episódio.

Tudo isso para chegarmos nos últimos segundos do episódio e seu clímax: O segredo de Nora.

Com Sherloque forçando a velocista a contar seu segredo diante de todo o Time Flash, dá para sentir a dor e incredulidade de Barry, graças à ótima atuação de Grant Gustin. Deu para ficar extremamente surpreso em como foi ter tudo isso jogado no ventilador em apenas alguns segundos e Barry jogando sua própria filha na pipeline após descobrir tudo.

De pontos extras do episódio que não falei acima, vale destacar a cápsula do tempo que veio do futuro e é a mesma que tinham num depósito (?) do STAR Labs. Também foi legal a referência ao filme Shazam, quando Iris risca a cápsula do tempo atual em formato de raio e Cisco chama de “Operação Shazam”. Outro ponto é a participação de Ralph como uma tentativa de aproximação a Cisco e sua namorada-de-rede-social Kamilla. E eu achando que o Barry que ia rápido demais.

Brincadeiras à parte, o episódio teve algumas cenas bem dramáticas e, diferente de muitos episódios da temporada anterior e da atual, não chegarão a ser tããão forçadas. Não teve um discurso motivacional para dar agonia dos momentos de drama e muitas cenas foram bem escritas, garantindo a “Time Bomb” a nota 7. Com algumas falhas em relação à obviedade das coisas (disfarce do Flash/XS) e Nora possuída, o episódio foi, no geral, muito bom considerando bastante onde ele se situa na temporada.

The Flash retorna apenas em 16 de abril, mas o episódio promete e muito. Com o título de “Godspeed”, poderemos ter a primeira visão do anti-herói dos quadrinhos, além de mais Eobard Thawne e muita correria (ah vá). Confira a promo abaixo:

Sigam-me os bons: