Colin Farrell reprisará papel em série spin-off de “The Batman”

Colin Farrell reprisará papel em série spin-off de “The Batman”

Colin Farrell assinou oficialmente um contrato para estrelar e atuar como produtor executivo de uma série spin-off de “The Batman”, no qual ele irá interpretar o vilão Pinguim, de acordo com fontes exclusivas da Variety. Segundo a publicação, esta seria uma nova série, como segundo spin-off do filme, uma vez que a HBO Max já encomendou um drama focado no Departamento de Polícia de Gotham.

O ator irá primeiramente interpretar o papel do vilão em “The Batman”, estrelado por Robert Pattinson, que estreia em março de 2022. A série então deverá contar com a ascensão do vilão ao poder do submundo do crime de Gotham.

Lauren LeFranc está vinculado ao projeto como responsável pelo roteiro da série. Além de Farrell, o diretor de “The Batman”, Matt Reeves e o produtor do filme, Dylan Clark, também serão produtores executivos da série através da 6th & Idaho e Dylan Clark Productions. A produção ficará a cargo da Warner Bros. Television.

Colin Farrell é mais conhecido por seus diversos papéis em filmes, mas na TV, ele recentemente estrelou o drama da BBC e AMC Plus, “The North Water” e anteriormente a segunda temporada de “True Detective” da HBO.

O Pinguim, também conhecido como Oswald Cobblepot, é um dos mais famosos vilões do Batman, sendo reconhecido por seu chapéu, monóculo e a grande variedade de guarda-chuvas mortais. Nas versões live-action, o personagem já foi interpretado por atores como Burgess Meredith, Danny DeVito e Robin Lord Taylor. Caso a série do Pinguim ganhe sinal verde, será o segundo spin-off de “The Batman”, como disse mais acima. As produções fazem parte dos planos da WarnerMedia em lançar novos conteúdos do universo do Batman através de todas as plataformas.

Existem outros diversos shows da DC sendo trabalhados pela HBO Max, incluindo o spin-off de “O Esquadrão Suicida”, “Peacemaker” estrelado por John Cena, uma série do “Lanterna Verde” de Greg Berlanti, e uma série da “Liga da Justiça Sombria” de J.J. Abrams, como alguns exemplos.

Sigam-me os bons: