Netflix e Sony selam acordo de distribuição

Netflix e Sony selam acordo de distribuição

A Netflix e a Sony Pictures Entertainment selaram um significante acordo de licenciamento e distribuição que garante à gigante do streaming a transmissão exclusiva de conteúdo da Sony para os filmes do estúdio serem disponibilizados na plataforma após sair do cinema.

O novo acordo substitui o contrato anterior da Sony com o Starz, da Lionsgate, que vem desde 2005. A Netflix terá uma janela exclusiva de 18 meses para os filmes da Sony. Diversos interessados fizeram ofertas, mas a Netflix saiu como vencedora. Os termos gerais do acordo não foram divulgados oficialmente, mas é dito que a oferta foi de 1 bilhão de dólares por quatro anos.

Há ainda uma brecha de informação sobre exatamente quando a Netflix poderá transmitir cada filme, considerando as estratégias do estúdio correspondentes às janelas de exibição nos cinemas. Contudo, dezenas dos principais títulos da Sony são confirmados para o streaming com exclusividade após a saída das telonas. Alguns dos lançamentos incluem Morbius, com Jared Leto e Uncharted, com Tom Holland.

Durante a pandemia, a Sony optou por vender o filme de Tom Hanks, Greyhound: Na Mira do Inimigo para a AppleTV+ enquanto a maioria dos cinemas pelo mundo estavam fechados. Sob o novo acordo, a Netflix terá a oportunidade de lançar primeiro os projetos como este. As duas companhias fizeram acordos similares nos últimos meses por filmes como o drama de Kevin Hart, Fatherhood.

Netflix e Sony já possuem um relacionamento prévio através do acordo do serviço de streaming com a Sony Pictures Animation. O novo acordo inclui outros selos e gêneros do estúdio. Um seleto acervo da Sony também está incluso, onde o estúdio planeja o lançamento de franquias como Homem-Aranha, Venom, Jumanji e Bad Boys. A sequência de Homem-Aranha no Aranhaverso é outro grande filme esperado.

O acordo entre Netflix e Sony chega junto às recentes notícias de estúdios rivais – como Universal e Fox – que estão considerando uma mudança em breve para seus contratos com a HBO perto do vencimento. É esperado que ambos lancem seus próprios serviços de streaming. É um grande impulso para a Netflix, que continua enfrentando preocupações de seus investidores por ter perdido algumas produções da Marvel e da Pixar (para o Disney+), Friends (para HBO Max) e The Office (Peacock/Amazon Prime Video). Também é uma grande vantagem para a Sony, que não possui nenhum serviço próprio de streaming.

Os acordos de distribuição representam grande fatia econômica aos estúdios, que podem adquirir centenas de milhões de dólares ao ano através dos distribuidores. Com a mudança do cenário de consumo e a inclusão cada vez maior de concorrentes para a Netflix (como os citados acima), a renda com tais acordos começou a ser mais complicada.

A Sony e Star renovaram pela última vez seu acordo de distribuição em 2013, pouco após a Netflix lançar sua primeira série original, House of Cards, iniciando seu grande território do entretenimento.

Sigam-me os bons: