Crítica: The Flash – 4×17 – Null and Annoyed

Crítica: The Flash – 4×17 – Null and Annoyed

The Flash retornou de um novo hiato com um episódio que, dirigido por Kevin Smith, já era de se esperar como voltaria: Com muitas piadas, algumas cenas com humor pastelão e várias graças ao bom roteiro. O próprio Kevin participou do episódio, sendo um dos seguranças atrapalhados do início da história.

O texto abaixo é uma crítica referente ao episódio 4×17 de The Flash. Se você ainda não assistiu, dá tempo de dar meia-volta e procurar outro artigo para ler ou o episódio online 🙂

Nas cenas iniciais, como mencionei, Kevin Smith é um dos seguranças que acabam permitindo que a 11ª meta do ônibus consiga roubar uma coroa (ela não abaixou a cabeça e a coroa não caiu). Quando Barry e Ralph vão à cena de crime, o humor permanece em ação quando um vaso caro é derrubado pela dupla de seguranças por culpa de Dibny, tentando improvisar novamente.

A temática e dinâmica entre os heróis foi bem trabalhada e nos mostrou o que já imaginávamos: Ralph usa o humor como sua defesa, mesmo que ele exagere. Foi bacana vê-lo se justificar a Barry explicando como que ele começou a fazer isso e mostrando que, lá no fundo, ele está apavorado.

É por conta desse humor que, enquanto investigam o antigo parceiro de Ralph, Barry acaba virando um balão de hélio e o Time tem o vislumbre do poder da vilã. Ressalto que, embora seja mais uma da galera do ônibus, foram poucas as cenas em que Nula realmente aparece, deixando o episódio mais centrado entre Allen e Dibny. Também temos Breacher perdendo seus poderes e recorrendo ao seu genro para tentar recuperá-los.

É legal ver que, nesse episódio em particular, o humor foi bem dosado. Barry mostrou um pouco da liderança de um fundador da Liga ao dar uma chamada de atenção em Ralph, mesmo que possa ter exagerado um pouco. Claro que teve momentos que a risada saiu pela bobeira das piadas e cenas, mas isso não é ruim. The Flash está tentando, neste 4º ano, a dosar a tensão, o humor, a amizade e os valores dos personagens e, salvo por um ou outro episódio que foge um pouco, temos uma evolução temática comparada às temporadas anteriores, em que os vilões eram velocistas e Barry perdia algum familiar.

Ainda assim, isso não significa que temos um vilão mais fraco em relação aos anteriores. Talvez possamos considerar o extremo contrário. Nas cenas com Marlize DeVoe, vemos que O Pensador está extremamente imerso em seu plano do “Iluminismo”, mesmo que isso envolva burlar seu relacionamento com a esposa e forçá-la a compactuar de sua loucura. É pesado ver que Clifford está usando as lágrimas do Chorão para inserir os sentimentos em Marlize e que, mesmo ela descobrindo, ele apaga a memória dela para que não seja descoberto.

Voltando para a parte de humor, o episódio foi regado a easter-eggs, como Ralph falando que o time deveria levar a comédia para a capital do país e eles seriam DC Comics, ou quando ele menciona o finale de Lost. Ah, que ótimo humor.

Por fim, após tanto conflito de planos para conseguir anular a vilã (quem pegar essa, pegou), temos a surpresa quando Barry, ao ir para a atmosfera, deixa que Ralph improvise para derrotar a meta-humana e, na sobra, salvá-lo de uma queda para a morte. E tudo isso sem um discurso motivacional desnecessário! E claro, tinha que ser finalizado com alguma gracinha do Homem Elástico após ele virar um colchão de pouso para o velocista.

O Tio Du, particularmente, gostou muito do episódio, considerando como nota 8. Além de matar a saudade da série do super-herói favorito, consegui dar algumas risadas, mesmo nas piadas bobas ou nas cenas pastelão de Kevin Smith. Também gostei do trabalho em mostrar que Clifford realmente teve uma drástica mudança de comportamento, provando cada vez mais que é um homem (ou mulher, no momento) perigoso. E assim, nas cenas finais, temos o vislumbre de que Harry poderá seguir esse caminho se não tomar consciência a tempo. Muita coisa mudou, Gideon.

The Flash não terá mais pausas até o final da temporada. Na próxima semana, o episódio “Lose Yourself” deverá engatar a primeira marcha para o grande Finale. Confira a promo abaixo:

 

Sigam-me os bons: