Crítica: The Flash – 4×12 – Honey, I Shrunk Team Flash

Crítica: The Flash – 4×12 – Honey, I Shrunk Team Flash

The Flash trouxe mais um episódio surpreendente nesta semana. As histórias de meio de temporada estão boas, mesmo que algumas possuam um tom de comédia pastelão mais forte, mas na medida certa, como esse episódio.

O texto a seguir é uma crítica referente ao episódio 4×12 da série The Flash. Se você ainda não assistiu, já puxa o freio de mão que vem spoiler daqui pra baixo.

Como mencionei anteriormente, The Flash passa no momento pelos episódios de meio de temporada. Geralmente, nas séries da DC e muitas outras com arco fechado em uma única temporada, esses episódios são feitos para “encher linguiça”, ou seja, histórias isoladas em que são raras as menções ao grande vilão da temporada ou ele nem aparece.

Contudo, a história passada nesta semana nos permite dar algumas risadas com Cisco e Ralph diminuídos e também movimenta – ainda a passos tão curtos quanto o Kord Laboratories no início do episódio – o arco de Barry na prisão.

O vilão da semana teve poucos minutos de tela e ficou mal aproveitado devido à quantidade de temas que quiseram abordar dentro dos 40 e poucos minutos. Havia muita coisa e pouco tempo para tudo. Tinha Cecile lendo os pensamentos das pessoas, Barry dando esperança a Big Sir, a busca pelo culpado, o duelo do episódio e os momentos do protagonista na prisão.

Aliás, referente a isso, recebemos cada vez mais amostras da dimensão dos poderes do Velocista Escarlate. Ele consegue praticamente parar o tempo para ver as cartas (e roubar) e em uma virada de câmera consegue levar Big Sir até a China e voltar! O menino está voando!

Só que aí mesmo que Barry bobeia. O diretor instalou outra câmera em frente à sua cela e descobre que ele é o herói da cidade. Como ele está mais preocupado com dinheiro do que os prisioneiros, Allen é drogado e preso em uma cela especial para meta humanos enquanto o diretor negocia com Amunet.

Vale lembrar que, enquanto a série nos mostra um Flash cada vez mais rápido, também consegue algumas falhas. A menos que seja explicado nos próximos episódios, fica difícil acreditar que Barry não consegue ficar bêbado mas consegue ser drogado.

O Tio Du avalia o episódio como nota 7. O bom humor nos momentos de Ralph e Cisco em miniatura são a parte positiva do episódio. A dose entre seriedade e humor foi muito bem distribuída, como em cenas de Harry se culpando pelos acontecimentos que levaram à prisão de Barry. Para evitar um ar maior de episódio de meio de temporada, os produtores inseriram três histórias em um e deu ar de que foi feito muito corrido e mal finalizado. Talvez, com alguns minutos a mais em outro episódio, teria sido melhor.

Sigam-me os bons: