O que está acontecendo com The Walking Dead?

O que está acontecendo com The Walking Dead?

Não devemos nos deixar enganar pelo último episódio exibido no último domingo, o melhor da temporada até o momento, mesmo não sendo tão difícil conseguir esse título. A série está mais fraca que o normal e aqui vamos expor alguns dos motivos.

O texto a seguir é uma crítica referente à primeira metade da 8ª temporada de The Walking Dead. Se você ainda não assistiu, já puxa o freio de mão que vem spoiler daqui pra baixo.

Para quem acompanha a série desde o início, não há como negar que essa temporada está mais fraca do que o normal. Eu mesmo, assisto desde o começo e sempre gostei. O Tio Du pensou em escrever as críticas dos episódios iniciais, assim como faz com The Flash, mas tanto lenga-lenga me desmotivou na estreia do novo ano. Pensei em fazer uma dos dois primeiros episódios, dos três primeiros… e desisti. Assim como muitas pessoas estão desistindo.

No trabalho, tenho contato com algumas pessoas que também assistem e muitas vezes eles estão acompanhando dia(s) depois. E essa situação se repete com muitos outros fãs e nos faz questionar:

O que está acontecendo com The Walking Dead?

Um dos primeiros pontos a se destacar é todo esse momento que se arrasta. Todos sabemos que Negan é, de longe, o pior vilão da série mas há mesmo toda essa necessidade em se alongar tanto no mesmo arco? O vilão deu as caras pra valer no último episódio da longínqua 6ª temporada e está batendo ponto até hoje.

Outro motivo é o complexo de Lost. A série perdeu alguns episódios focando exclusivamente em alguns personagens sem que a história prosseguisse. Além disso, o recurso de flashbacks e flashforwards foi utilizado demasiadamente e nem sempre teve explicações adequadas.

Zumbis no escanteio: Talvez esse motivo não seja nem tão forte pois eles estão sempre lá, mas a série deixou um pouco de ser uma série de zumbi para focar numa série de guerra… com zumbis. E é esse um dos motivos do último episódio ter sido o melhor. Carl pergunta a seu pai e também a Negan o motivo de toda a luta sendo que o certo seria apenas sobreviver de alguma maneira.

Um último fator a se mencionar envolve um pouco o foco excessivo também em núcleos que não são tão necessários. Há muitas cenas com os povos das três comunidades e com os Salvadores que poderiam ter sido mostradas em um episódio ao invés de alongar em vários diferentes.

No mais, concluímos nessa análise que o principal motivo de The Walking Dead ter um rendimento menor é que eles parecem não saber como concluir esse arco. Os produtores e roteiristas parecem que precisam colocar episódios lentos e chatos para que consigam terminar uma temporada. A criatividade caiu, mesmo com os quadrinhos como referência e assim, com uma audiência batendo recordes negativos, eles arriscam deixar verdadeiros fãs sem uma boa série.

Esperemos agora que os novos episódios de 2018 recuperem o gás perdido durante a 7ª e 8ª temporada e que consigam sair com maestria do lamaçal criado por eles mesmos. Resta saber também se a morte iminente e precoce de Carl será bem trabalhada, visto que isso não acontece nas HQs. Claro que temos uma série inspirada nos quadrinhos mas algumas histórias precisam ser contadas de acordo, mesmo que algumas pessoas não concordem com isso. No mais, essa primeira metade da temporada consegue no máximo uma nota 6. Falta muito para melhorar. Acabar com esse longo arco é a primeira marcha para isso.

Nota 6/10
Sigam-me os bons: