Crítica: The Flash – 5×13 – Goldfaced

Crítica: The Flash – 5×13 – Goldfaced

“Goldfaced” mostra Barry e Ralph disfarçados de criminosos no mercado negro para a compra de um dispositivo que pode ajudar o Time Flash a parar o vilão Cicada. Dentro deste mercado, a dupla é moralmente testada enquanto se infiltram neste mundo da criminalidade.

Caso você ainda não tenha assistido ao 13º episódio da temporada atual de The Flash, sugiro parar por aqui e procurar assistir, pois o post contém spoiler a partir das linhas abaixo.

Para um episódio de meio de temporada, “Goldfaced” foi melhor do que muitos outros em temporadas anteriores. Contando com Barry e Ralph no mercado negro e Iris investigativa do jeito que tinha que ser, a história só tem algumas falhas, como na dinâmica entre Nora e Sherloque e o “novo conselho” formado pelas ex-esposas do detetive. Para um alívio cômico, bom, para uma adição à história, desnecessário.

Mas vamos aos pontos positivos primeiro. A começar pelo tema do episódio, que nos mostra, novamente, que Barry está aceitando um lado mais “fins justificam os meios”, indo para o mercado negro somente para conseguir um dispositivo que poderia ajudar o time Flash a derrotar Cicada ou quando se sujeita a roubar uma impressora de órgãos que iria a um hospital. Até mesmo seu disfarce como “O Químico” mostra um lado mais dark do velocista, visando a solução do seu problema atual, Cicada, sem se importar com algumas consequências.

Também é bacana ver que Barry permanece com seu instinto heroico, mesmo quando deve mantê-lo escondido e disfarçado. Ao ver que uma das armas à venda é capaz de destruir policiais de Central City mesmo com colete, Allen tenta comprar todas para tirá-las da rua. Atitude nobre, mas obviamente que ele deu muito na cara e faz com que os bandidos desconfiem do rapaz.

Nos momentos seguintes, Ralph remonta aos seus momentos pré-Time Flash, quando, além de procurar melhor sobre o dispositivo, tenta tirar o Barry-disfarçado-mas-nem-tanto de cena. “Goldfaced” leva pontos por saber montar os cenários certos para uma operação de risco da dupla, além do outro núcleo da série a se destacar: o de Iris investigativa.

Como vemos no início do episódio e da criação do Central City Citizen, a sra. West-Allen está querendo noticiar sobre o grande vilão da temporada, mas ainda possuía um bloqueio do Velocista, precisando convencê-lo ao lembrar de DeVoe, no 4º ano da série. Como muitos fãs sempre pedem, inclusive eu, é melhor ver Iris como uma repórter investigativa que sempre foi conhecida, seja nos quadrinhos, ou nas primeiras aparições na série.

Toda a ação e seu envolvimento direto com Orlin “Cicada” Dwyer nos mostraram o lado de Iris que todo mundo queria que a série focasse. Toda a ação dos personagens foi bem colocada em cena, principalmente por dois fatos principais: 1) Iris conseguir reverter muitas situações, improvisar e causar dano no vilão mesmo não sendo uma meta-humana e 2) Como “mulher forte” da série, provar isso ao conseguir fugir do temido Cicada sem precisar apelar para o velho cenário de donzela em perigo.

Com tantos detetives em ação, o núcleo do “melhor” de todos acabou sendo o mais fraco. Sub-utilizando Nora como uma mera ajudante de um Eobard Thawne do futuro, a velocista age mais para proteger seus segredos do que para incluir algo de importante no episódio. Além disso, a missão de Nora em fazer Sherloque ser desviado de sua investigação própria para conhecer uma pretendente chega a nos lembrar de muitos outros momentos da série que parecem infantil.

O novo conselho montado com as ex-esposas do detetive possuem apenas a montagem de cena como digna de elogio, mas a dificuldade e o esforço de gravar 4 vezes a mesma pessoa com timing correto e comunicação com sentido poderiam ter sido alocadas para mais cenas dos núcleos melhores de “Goldfaced”, ou até mesmo seria melhor não ter essa presença e essas cenas e um pequeno foco no ausente Cisco enquanto ele toma mais passos rumo à cura meta.

Pelo menos, tais cenas nos mostraram que Sherloque sempre terá sua mulher ideal no Multiverso, além de mostrar que Nora está ligada fortemente ao Flash Reverso a ponto de seguir suas ordens visando seu disfarce e também nos evidencia um Wells capaz de colocar em pausa sua investigação sobre a velocista e mais focado em novos modos de derrotar Cicada, visto que a versão de sua mulher ideal nesta Terra é uma meta-humana, ou seja, um potencial alvo do vilão.

Voltando ao núcleo principal de Barry e Ralph, também foi ótimo ver que a dupla conseguiu superar vários bandidos mesmo sem poderes, o que pode ser uma espécie de preparação para um embate com Orlin em algum momento. O pé no chão de Dibny ao prender Barry no caminhão para evitar que o amigo se corrompa também é de elogiar.

Além das cenas de ação que foram mostradas de uma boa maneira, o tropeço de Ralph como alívio cômico e o pensamento “como vamos derrotar o vilão sem poder” são coisas para elogiar. De todas as cenas, apenas os tiros de coisas vermelhas e azuis voando pelos lados que foram levemente exagerados, mas segue o jogo.

No geral, “Goldfaced” nos mostrou um bom vilão para um episódio regular de meio de temporada. Embora somente uma luta rápida seja mostrada no final do episódio, The Flash nos mostrou novamente uma vitória sem discurso motivacional, motivo de piada em tantos outros momentos da série. Também nos mostrou a união forte de Barry e Ralph, sua cumplicidade e heroísmo conjunto.

No geral, o 13º episódio do 5º ano de The Flash manteve seu índice, sendo uma nota 7 até que forte, beirando um 8. A forma com que Goldface foi derrotado é de se elogiar pelo jeito que foi conseguido pela dupla dinâmica da série. A montagem deste núcleo, junto com o de Iris Vs. Cicada foram, com certeza, os pontos positivos de “Goldfaced”, principalmente por colocar o Time Flash na residência do grande vilão. Já o núcleo de Nora e Sherloque serviu mais como uma tentativa da velocista em esconder mais seus segredos e uma falha oportunidade de alívio cômico, que poderia ser deixado para um outro episódios.

Na próxima semana, “Cause and XS” mostrará Nora correndo para salvar Iris após a repórter ficar em sério perigo. Barry está a ponto de finalizar a cura meta-humana, deixando Cisco com uma rara folga, enquanto ele decide convidar Kamilla para um encontro. Confira o teaser abaixo:

 

Sigam-me os bons: