Crítica: The Flash – 5×06 – The Icicle Cometh

Crítica: The Flash – 5×06 – The Icicle Cometh

O pai de Caitlin finalmente dá as caras no episódio dessa semana de The Flash, após fazer parte da investigação do trio Barry-Cisco-Caitlin. Além disso, Iris e sua filha Nora seguem pistas com Sherloque Wells e a dupla improvável entre Ralph e Cecille também está na busca por Cicada.

Caso você ainda não tenha assistido ao episódio 5×06 – The Icicle Cometh, sugiro que você vá procurar assistir e não continue daqui em diante, pois tem spoiler!

Envolvendo todos os personagens atuais da série (tirando Joe, que permanece afastado devido a problemas físicos), o 6º episódio da temporada melhorou em relação ao anterior – o que não é tão difícil. Sendo mais um episódio para segurar a audiência no meio do 5º ano, a história dessa semana conseguiu envolver mais o telespectador.

Temos logo no início uma divisão do Time Flash, o que me lembrou muito dos episódios do Scooby-Doo, onde o Fred separava a equipe para cada um investigar um cômodo e sempre ia junto com a Daphne para algum lugar (aquela carinha). Desta vez, as divisões da equipe foram claras para seus devidos interesses: Ralph foi em direção ao ausente Joe – e acaba fazendo sua dupla com Cecile; Nora força sua ida ao lado da mãe depois da arriscada cena de Iris no episódio anterior; Sherloque as acompanha, apenas porquê sim; Cisco-Barry-Caitlin vão, finalmente, à procura do misterioso pai da Nevasca.

Assim sendo, podemos claramente observar a paleta de cores azuladas que os episódios com gelo sempre traz. Embora esse tema possa cansar futuramente, vale a pena observar também que o “vilão” da noite retornará em novos episódios. Bom ressaltar que, em um dado momento, Thomas Snow cita alguns cientistas como pessoas que ele procurou, sendo Louise Lincoln, uma das donas do manto da Nevasca, além de Victor Fries, conhecido como vilão do Batman chamado Sr. Frio (ou Mr. Freeze) e Harrison Wells, sendo neste caso Thawne, que mostra que o velocista reverso já sabia muita coisa há tempos.

E são nessas referências que a série do nosso velocista sempre foi boa. Assim como The Big Bang Theory costuma referenciar a cultura pop, The Flash sempre ganhou meu coração quando soltava, no passado, uma grande quantidade de easter-eggs, como as sucessivas menções ao número 52 (dos Novos 52), ou outros personagens da DC, como o episódio dessa semana mostrou. Além dessas referências, outras foram soltas por Cisco, Barry e até Nora, ao nomear o pai de Caitlin como o vilão Geada. Nos quadrinhos, o alter-ego do vilão já foi Cameron Mahkent, que coincidentemente é o nome informado do legista responsável pela autopsia de Thomas Snow.

Ok, me empolguei com as referências.

De qualquer modo, esse é o grande diferencial quando está sendo retratada uma série com impacto pop tão forte quanto o Flash, que pode ser o herói preferido de muitos jovens devido ao engraçado Wally do desenho da Liga da Justiça.

O episódio dessa semana, porém, ainda falha em colocar aquele humor leve que a série tem de bom, utilizando Ralph e Cecile como um dos únicos alívios cômicos de toda a história do sexto episódio. Outro momento de descontração é uma rara cena de Sherloque Wells tomando seu chá de camomila e mencionando sua atividade intestinal. Particularmente, essa cena me arrancou um sorriso mais fácil que os momentos de investigação de Ralph e Cecile que, embora tenham apresentado uma boa química, não me convenceram que suas cenas eram de fato necessárias, parecendo apenas um pouco mais de massa para assentar o episódio dentro de seus minutos.

A grande luta contra o vilão/pai da Caitlin foi ótima para resgatar a Nevasca e fazer com que Cisco descubra depois como que ela sumiu. Porém, como o próprio Thomas Snow diz, é de se esperar que a equipe de super-heróis fosse mais inteligente. Todos ali sabiam da temperatura interna do prédio e seus problemas causados para a supervelocidade, mas mesmo assim entraram lá, sem um aparente plano além de “Vamos detê-lo e mandar para a pipeline ou Iron Heights”.

Mas, convenhamos, todo o embate foi preparado apenas para o grande retorno do alter-ego de Caitlin Snow, a Nevasca. Mais coisas vem aí nesse tema.

No mais, as cenas adicionais do Cicada só existiram para mostrar que, a cada ferimento, ele está ficando mais forte. Ele mata uma meta aleatória logo no início do episódio, mas sofre um corte feito pela mesma. Mais tarde, ele descobre que isso está tornando o vilão mais forte – e mais difícil de ser derrotado pelo Time Flash. Um gás a mais para o algoz da temporada atual.

Entre tudo falado, o Tio Du avalia o episódio como nota 7. O teor dramático continua presente nesta semana, o qual deverá perdurar durante toda temporada, aparentemente. Fico feliz pelo episódio desta terça ser melhor que o anterior, mas ainda há um longo caminho a percorrer para voltar aqueles momentos marcantes que outros episódios de temporadas atrás nos mostravam.

Na próxima semana, o 7º episódio da 5ª temporada irá ao ar sob o nome “O Come, All Ye Faithful” e trará, além de um episódio de Ação de Graças da série, um grande embate com a Bruxa do Tempo, filha do antigo vilão da primeira temporada, Mago do Tempo. Contudo, a prévia do episódio foca mais em outra parte da sinopse lançada à imprensa, envolvendo mais sobre Cicada e um possível vislumbre de sua origem. Confira a promo legendada abaixo:

E você, o que está achando da temporada atual de The Flash? Deixe seu comentário para o Tio Du!

 

 

Sigam-me os bons: