Crítica: The Flash – 4×22 – Think Fast

Crítica: The Flash – 4×22 – Think Fast

O penúltimo episódio da 4ª temporada de The Flash foi ao ar essa semana e, embora tenha sido bem melhor que a história apresentada na semana passada (o que não é muito difícil), encerramos o capítulo dessa semana com uma ligeira sensação (trocadilho intencional) de como a preparação para a Finale do dia 22 de maio poderia ser melhor apresentada e trabalhada.

O texto abaixo é uma crítica referente ao episódio 4×22 de The Flash. Se você ainda não assistiu, dá tempo de dar meia-volta e procurar outro artigo para ler ou o episódio online 🙂

Pelo que vimos na promo do episódio que foi ao ar na semana passada, o 22º capítulo da saga atual de The Flash prometia o grande início do tão aguardado e temido Iluminismo de DeVoe. A história dessa semana deve ser elogiada logo no começo com sua grande e ótima quantidade de efeitos especiais, trabalhada muito bem pela equipe da série. Esse árduo trabalho da produção pode ser visto desde o começo até o final do episódio.

Começo esse que temos a presença de um Diggle-não-Diggle, o próprio DeVoe invade facilmente uma unidade extremamente segura e secreta da A.R.G.U.S.. Como ele sabia? Como ele foi até lá e conseguiu convencer facilmente a derrubar as defesas anti-meta do local? Isso é coisa para roteirista não precisar explicar e a gente só aceitar que ele apenas pode. E é nesse fato que vemos que não há humano comum capaz de pará-lo. Mesmo sendo um vilão do pior tipo, foi incrível ver a capacidade e poder de confronto de Clifford contra soldados treinados de uma agência ultra-secreta. Os poderes foram usados sem exceções e impiedosos, como quando O Pensador simplesmente pisa em um dos agentes.

Esse episódio atual também usa algumas poucas cenas de humor. Talvez para exemplificar melhor a tensão que se encontra a temporada, mas também para lembrar que a série ainda se trata de um super-herói que faz graça. Contudo, o humor principal ficou recluso em cenas rápidas com Diggle vomitando ainda sem costume com Barry o carregando super-rápido e com momentos de um Harry burro batendo em cadeiras e falando coisas que até então estavam sem sentidos.

Referente às partes de Harry, a atuação de Tom Cavanagh sempre deverá ser elogiada, seja com seu nariz empinado com inteligência acima do comum mostrada nas semanas anteriores, mas seja também com essas tomadas em que ele simplesmente está sendo “transformado” em um futuro aluno de DeVoe. Foi nesse episódio 22 também que temos maiores explicações sobre o Conselho dos Harrisons que ocorreu na semana passada, justificando a existência do mesmo.

O episódio, embora tenha ressalvas nas próximas linhas, possui mais dicas da Finale do que uma preparação para um grande embate final. Algumas delas são bem claras, como a procura por Marlize, que deverá se juntar ao Time Flash contra seu ex (?) marido. Outras são colocadas subentendidas, como as cenas com Cecile mostram. Novamente, a série peca em mostrar algumas ações pouco tempo antes da solução. Apresentar esse “poder” da promotora é conveniente até demais ao ser mostrado agora. Ela deverá ser uma das chaves para a derrota do grande vilão da temporada, ao poder tomar consciência e pensar como O Pensador (não tenho como colocar isso sem um leve trocadilho).

Mas não são somente falhas encontradas essa semana. Pelo contrário. Conforme mencionei lá no começo, “Think Fast” deve ser elogiado em sua maior parte pelos seus efeitos especiais que estão incríveis! Além dos poderes de DeVoe, toda a ação no Modo Flash, com Barry emprestando sua velocidade a Cisco e Caitlin, o treinamento deles e a própria ação na A.R.G.U.S. são de tirar o chapéu (ou o capacete d’O Pensador mesmo).

Ainda assim, algumas das cenas do próprio treinamento ou da ideia do Time em usar o Modo Flash para salvar o dia, poderiam ter sido utilizadas já na semana passada, para que o 22º e também conhecido como “penúltimo episódio da temporada” pudesse ter um impacto maior e/ou com um tempo maior de tela de Cisco/Caitlin/Barry no Star Labs. Fica pouco interessante também apresentar nessa semana os “estudos” do velocista nesse modo e já usá-lo minutos depois. Cisco conseguir abrir a fenda agora, mas não quando uma bomba nuclear explodia, pode ser colocado como um dos pontos que os roteiristas quiseram colocar apenas porquê sim.

Depois de uma análise, porém, há coisas que realmente não têm necessidade de perder explicando minuciosamente, embora outras precisassem de uma pincelada melhor. Talvez o erro principal da temporada atual seja semelhante ao episódio passado: Timing. Algumas coisas ainda estão descompassadas, mas nada que vá tirar minha preferência pela série do Velocista Escarlate.

Antes da nota, um último ponto de análise é referente às cenas finais, onde Barry e Clifford possuem uma conversa bem franca sobre todo o background da temporada. O plano do vilão infelizmente parece ir adiante quando ele invade – novamente – o Star Labs e consegue utilizar a própria Gideon para iniciar o ‘Protocolo Iluminismo’. Resta saber quem tanto ajudará o Time Flash na Finale da próxima semana.

O Tio Du avalia o episódio como nota 7. O motivo principal é simples: Esse poderia ser facilmente o episódio que deveria ir ao ar na semana passada. Parece ainda que haverá um último capítulo antes do derradeiro final de temporada. A sensação é de que “Think Fast” fez o seu trabalho como episódio dentro de sua temporada, mas não ao ser o penúltimo do 4º ano de série. Agora só temos uma história a ser contada e espero muito poder colocar, no mínimo, uma nota 9 para a finale.

Como falei, Marlize provavelmente deverá se unir ao Time Flash, como podemos ver que o Velocista usará a cadeira+capacete no trailer. Resta saber também quem mais poderá ajudar a equipe, agora que sabemos que a Nevasca veio antes mesmo da explosão do acelerador e que todo o mundo corre o risco de regressão intelectual durante O Iluminismo. Confira abaixo a promo estendida e legendada de 4×23 – We Are The Flash:

Sigam-me os bons: