Dica de Série: Travelers

Dica de Série: Travelers

Hoje o Tio Du vai inaugurar uma nova seção no site: a Dica de Série.

Vou falar de algumas séries específicas que assisti recentemente e que não possuem tanta mídia nas redes sociais mas que são boas, dependendo do gosto de cada um. A primeira delas é Travelers.

Pode ficar tranquilo ao ler, pois não vou contar spoilers da série para acabar com a graça. Ainda assim, vou passar alguns pontos que somente assistindo que farão sentido.

A primeira delas: Se eu gostar dessa indicação, onde poderei assistir essa série? Bom, as duas primeiras temporadas estão disponíveis na Netflix. É só procurar lá que vocês acharão os 24 episódios. Outro questionamento que pode vir é: Quem gostaria de assistir essa série? Eu indico para pessoas que curtem a temática de viagem no tempo e já explico mais para baixo o porquê. A série é realmente boa? Bom, isso é relativo. Eu, particularmente, gostei e se você curte alguns paradoxos e conspirações, é bem indicada.

Viagem no tempo? Do que se trata a série? Como eu mencionei, Travelers tem como ponto principal a temática de viagem no tempo. A história consiste em uma equipe vinda do futuro, que consegue tomar o lugar na consciência de pessoas do período atual em momentos antes de suas mortes. Como funciona? É até que simples e é bom saber disso antes de assistir o primeiro episódio para não se perder: No futuro, eles possuem informações das mortes de qualquer pessoa do mundo, o que torna tais indivíduos candidatos para receber a consciência de agentes do futuro.

Esses agentes voltam ao século 21 pois, no futuro, a civilização corre um grande risco de ser extinta por causa de muitas ações tomadas na atualidade e então entramos na parte do paradoxo: A primeira temporada nos mostra basicamente que eles cometem atos nos dias atuais, sem ter a certeza de que aquilo funcionará, mas, de qualquer forma, eles têm em sua memória, um cenário que existiu antes deles voltarem no tempo, que não significa que continuará lá, do mesmo jeito.

Parece confuso, mas paradoxos são confusos. Porém, a série não é tão complicada. É bem leve e boa de se assistir, principalmente se você gosta desse tema. A segunda temporada começa a passar para o lado de conspiração, por causa de algumas ações dos personagens no primeiro ano terem alterado fatos do futuro, ramificando o tempo, fazendo com que uma outra organização tenha sido criada graças às mudanças no século 21.

Para quem gosta do ator Eric McCormack, que fez Will & Grace, é uma boa indicação também. O ator protagoniza a série com o personagem do FBI Grant MacLaren, chefe da equipe de viajantes. Ele não está sozinho na história, as atrizes MacKenzie Porter e Nesta Cooper acompanham os atores Jared Abrahamson e Reilly Dolman, que são os outros viajantes do time. A série também conta com o ator Patrick Gilmore no elenco principal, além de diversas participações de viajantes durante os episódios.

Embora possua o selo de produção da Netflix, a série originalmente teve sua estreia no canal canadense Showcase, possuindo a sua distribuição internacional pela plataforma de streaming. A terceira temporada, que terá seu início de produção em breve, possui apenas a informação de exibição pela Netflix e não mais pela emissora. Os episódios têm, em média, 45 minutos.

Avaliação geral do Tio Du: As temporadas possuem claras diferenças na temática entre uma e outra, sendo a primeira destinada mais para a apresentação do tema, do elenco e da concepção do tempo. A segunda, possui algo que séries americanas costumam incluir depois que há uma leve perda de criatividade: a conspiração. Outro dia o Tio Du irá indicar uma outra série que teve situação semelhante (Touch), mas que não seguiu a produção. Não quer dizer que isso é de todo ruim, pois foi bem trabalhada pelos produtores.

O bom de assistir as duas temporadas de uma vez é que a finale do primeiro ano possui um cliffhanger (final em aberto) grande, que me deixou particularmente bem curioso com a continuação da história. O encerramento do segundo ano também possui o mesmo artifício, mas, poderia ser utilizado como final da série, se ela não continuasse sendo produzida, por exemplo.

No geral, a série é bem amarrada, não deixando muitas pontas soltas, o que geralmente ocorre em séries que envolvem viagem no tempo, mas, com uma ou outra falha que estão presentes principalmente na segunda temporada, a nota da série não pode ser melhor do que um 8, no momento. Ainda não há previsão de estreia do 3º ano, mas eu gostei e indico a quem gostar do estilo.

Se você já assistiu a série, comente o que achou! Se começou a assistir agora, está gostando? O Tio Du quer saber 😉